Tuesday, September 18, 2007

Para o Actor

Ensimesmado no teu castelo alcandorado,
símbolo encarnado
de um deus - mistério que nunca vi,
através de ti toco o infinito,
o desejo nunca corrompido,
sem objecto, metafísico,
sexo puro.

Algures vago, vegeto,
entre bruma e nevoeiro
navego,
vou ao teu encontro.
Nunca te despiste.
Através de uma cortina
visiono as tuas sombras
e se ao morrer arranco
os véus que te cobriam
não me lamento se descobrir
que uma vez mais fui enganada.
E que por detrás e por diante
e pelos lados das sombras - projectos
que criaste
não havia nada, nem sombra de nada,
nada, nada,
apenas um corpo abjecto e perecível.

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home