Wednesday, December 26, 2007

Fragmento III

A taça, cheia e ensombrada, estremece.
O vinho, espalhado pela mesa,
gota a gota, tomba,
no chão alastra a mancha.
Cala, finge que acontece
o que acontecer não pode
senão se os deuses o consentem
e vibrante desfere o golpe.
O tempo dá, o tempo tira,
a mentira ensina a verdade do que há.

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home