Sunday, March 23, 2008

Fragmento VIII

O olho de Habakuk espreita
através do solstício de Verão.
A vida é perfeita:
céu azul, pássaros,
violetas, figos maduros,
o canto acidulado das cigarras.
Se uma ou outra sombra assoma
vinda do nada
mando-a embora. Digo-lhe:
- Agora não! Agora não!
É tarde. Estou cansada.

2 Comments:

Blogger Meg said...

Estrelíssima;-)

E no entanto a força das palavras terminam por revelar exatamente o inominável, o intrínseco, mas... inefável.
Gostei imenso da série toda.
Um bonito abraço.

Meg(sub Rosa)
=-=-=-


Está quase impossível comentar, uma pena!

12:08 AM  
Blogger estrelicia esse said...

Querida Meg! Vivi muitos anos no Rio de Janeiro e o que me fez mais falta quando vim para Portugal foi o calor, não apenas do sol, mas também das pessoas como você. Beijo.

4:22 AM  

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home