Saturday, May 03, 2008

Fragmento LXXIX

Admiro os poetas de têmpera rija e versos tenros como Teixeira de Pascoaes. Mas, não pertenço à estirpe dos profetas, daqueles que mantêm aceso o altar da pátria. Antes confesso sou da raça dos malditos, dos anti-heróis, dos espectadores do destino. Assistente assíduo no Coliseu, no Circo, no Teatro, canibal, misturado com a multidão ofegante, cheirando a suor, farejando o sangue, observo, embevecido ou estarrecido e às vezes impassível, a oficina da carne, o combate emperdenido e fatal entre deus e a besta humana. No circo, o animal ainda vivo não é senão metáfora do espírito, oferta e sacrifício no ofício divino, que o poeta canta e celebra com palavras efémeras de sangue e cimento, promessas por cumprir de eternidade.
Leonardo Ventura, Confissões Involuntárias.

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home