Monday, April 28, 2008

Fragmento LXXXVIII

Quanto te vejo
sinto fluir nas veias
a respiração das algas,
aquieto-me,
perco a memória,
não consigo soletrar os s.
Uma grande estupidez invade
por dentro os meus sentidos
e mente.
Confundo tudo.
Acredito até que te conheço desde sempre.
Verdadeiramente estranho.
Onde foi que nos encontrámos?

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home